sábado, 31 de dezembro de 2011

Final ou começo?

Esse é o ultimo dia de um ano com muitos frutos. Um ano de vida e morte, de amores e desamores, criações e pesadelos. Como todo caminho que passamos tivemos muitos sonhos a realizar. Alguns foram feitos reais, outros não. Alguns ainda estão sendo moldados. E outros esquecidos. Tudo se baseia em decisões de pensamentos em um mundo complexo. Onde, porque não dizer, que cada escolha cria um universo paralelo diferente e mágico. 
Assim como este futuro próximo que surgem amanhã começa, almas por todas as esferas renascerão com mais esperança e amor. Filhos retornaram ao seu lar para compartilhar os pequenos frutos e sementes mágicas desses dias passados. No ar uma espécie de aura fina e sensível sobrevoará todos os familiares, enchendo-os de uma sensação tão forte como impossível de se descrever. 
Essa sensação vai trazer muita paz aos corações e, a fome de partilhar mais um dia, ano, ou vida com nossos amados. E eu desejo a você um maravilhoso começo de caminho que vai surgir.  
Feliz Ano Novo!!

sexta-feira, 23 de dezembro de 2011

Sarando no Natal.

A árvore de Natal  piscava a todo vapor. Na televisão, um programa antigo enchia a tela de cenas. chuviscadas. Em um dos cantos o ventilador rodava, fazendo o calor  excessivo do Brasil diminuir. - Nem tanto.
- Ui ... - disse o pequeno bebê que brincava  no chão. Ele era de uma cor caramelada. E deixava uma fragrância de bala ao correr em círculos.
- Fez dodói? - pergunta a mãezinha. Com todo  o carinho, ela se levanta e vai atê o rebento. Pregando um estalado beijo no ferimento imaginário. - Pronto!Sarou.
O pequeno volta a sorrir. Mostrando como o Natal dever ser. Ele dever ser um beijo de uma mãe que faz sarar qualquer machucado ganhado durante o ano que vivemos. Assim o dia vira lábios quentes e macios de amor. Que mostram que não importa o que passou para nos machucarmos. No fim, por mais que demore ou seja rápido, há sempre um ... "Sarou".   

Solidão.

Sinto o vazio, a mão da dor me acompanha,  
os gritos da felicidade ouço de longe.
A agonia toma  conta de mim,
e a morte me rodeia.

O que faço? Por que sinto isso?
Sou o fantasma do silêncio?
Pois sou esquecida do mundo,
mas assombro a mente por alguns instantes.

Lúcifer me persegue
e a Deus clamo, Ele me consola  sonhos.
Mas continuo sozinha neste mundo.
Um mundo sem amor para minha mente.

A mercê dos espíritos.
E na agonia da vida de meus irmãos.
Sou lembrada para a perseguição.

domingo, 18 de dezembro de 2011

Passagem de um diário fantasma.

Querido diário.

Há algumas noites atrás acordei, fiquei tão assustada, uma risada sombria é que me despertou.
Parecia ...
Não podia ser. Mas se fosse? Bem, a melhor coisa seria  perceber que era bobagem  da minha mente sonolenta. Então voltei a viajar pelo mundo das fantasias, pois, mesmo caminhando no vale da morte das sombras há sempre alguém nos guardando para o bem.
O medo que enchia meu corpo de dúvidas havia acabado. E rindo deixei-me levar...

domingo, 11 de dezembro de 2011

Para você ...

"Falais baixo se falais de amor" 
                                                                                                                  William Shakespeare 


Quando Shakespeare disse isso ele não sabia que amar você me tornaria tão feliz. É por este fato que vou falar-alto-amo-te. 
Irei gritar no sentido dos quatro ventos então o mundo, às pessoas, os animais e às flores saberam que o sol nascente da minha vida é você. 
A cada momento anseio por suas carícias, pelo som das suas palavras, e pelo prazer de admirar seus olhos que mudam de cor a cada direção dos raios do astro rei. 
Uma vez ouvi vozes trazidas pelo vento que diziam: O amor não vive. Esses "sopros" não sentem o calor que meu corpo aprecia ao encontrar o seu olhar, minhas faces se tornam rubras e você logo percebe. Me deleito quando suas cordas ocultas vibram notas, fico apaixonada a cada instante que sinto sua pele se arrepiar ao me tocar. 
Eu amo você e falarei alto, pois, o amor vive para ser mostrado, é por este impetuoso sentimento - que também  é amável - que te escrevo estas palavras. 

                                                                                                                    ... de sua amada. 

sábado, 10 de dezembro de 2011

Minha morte.

A vida é bela e com um sorriso estampado na face.
Mentira!
A vida que vivo é de magoas, caras com lagrimas.

Eu não tenho uma vida.
Tenho, uma ilusão envolta da dor
A dor que a morte tenta me dominar.

Morte
É o fim das dores que proporciona a minha família
Pois sou o estorvo de uma sombra de planta
A ganância, a mesquinhes vivem dentro de mim
Tento despi-las
Consigo, puxa que bom! Tenho uma vida de novo.
Mas as vozes não me deixam
Então caiu nas profundezas do Tártaro.

Morte essa é a minha vida.
Sou ruim, gosto de maldades, soberbas, ridículas
Eu não sinto estás coisas, mas se as vozes as dizem
É por que deve ser verdade

A morte seja mais negra para mim!

  

domingo, 30 de outubro de 2011

Carta de adeus.

Parecia que o que sentíamos um pelo outro duraria  uma eternidade. Adorava passar aquelas horas com você. Sentir a batida de seu coração, o calor de suas mãos, olhar o brilho dos seus olhos... Era como estar em uma dimensão magica brilhante e sedutora. Um lugar habitado por apenas dois seres que se amavam a mesma intensidade que precisamos do ar para viver e respirar.

Aqueles dias ficaram guardados em minha memória para sempre. Meu coração sempre irá disparar ao te ver ou sentir. Minha vida estará pela metade para o resto dos dias por não ter você ao meu lado. Mas sabe eu aceito isso, pois os segundos que vive em sua companhia são melhores do que nunca ter te encontrado.

E por isso que vou sempre te amar.

Te amo... 

sexta-feira, 28 de outubro de 2011

O nada ...

Quando estava no primeiro ano do colegial. Minha professora pediu a nossa classe para fazer um trabalho de literatura. Tínhamos que pegar um livro e lé-lo e depois contar com nossas palavras o que o livro falava. Naquela época, eu odiava ler. Mas como não era boba e queria passar de série me forcei a fazer a tarefa.
Fui até a biblioteca e peguei um daqueles chatos pesos de papéis. A capa tinha um tom cor de cobre. E lia-se: A Historia Sem Fim de Michael Ende. Logo que li pensei. Maravilha! Já assisti o filme. Agora é só fazer. 
Os dias foram passando e meu trabalho já estava pronto, pois quem nunca assistiu esse filme?! 
Um dia a luz de tarde acabou na rua de casa. Era algum concerto sabe se lá onde?! Então fiquei parada, estática olhando para os meus pés. No meio dessa atividade meus olhos foram parar na estante, onde justamente eu havia jogado o "peso de papel". Como não tinha nada para fazer, decidi ver qual era a graça de se ler. 
Peguei e comecei a leitura... Aquelas palavras foram entrando na minha mente. O tempo a minha volta foi ficando em segundo plano. A historia sem fim havia me capturado... 

Três dias depois...
Eu havia refeito o meu trabalho. E acabei ganhando uma nota A, que me deixou muito feliz. Mas o ponto que eu quero chegar do meu texto é que : neste livro a um vilão terrível. O invencível Nada! Naqueles dias eu achava que esse nada era algo bobo para ter um lado mau da historia. Hoje, mais madura vejo que esse nada pode ser considerado, de certo modo, a depressão. Que toma conta de tudo e de todos que deixam de acreditar e de lutar por algo ou alguém. Esse Nada vai devastando, acabando e matando tudo por onde passa. E como se o mundo de Fantasia¹ fosse o nosso corpo, enquanto o poderoso vilão fosse a tristeza chegando. Um ser que parece não pode ser destruído.  
Felizmente, há como vence-lo. Em nosso mundo é claro não iremos procurar um Nomeador novo para uma Imperatriz. Iremos tentar ficar perto de quem amamos. Lutaremos com a ajuda dos amigos e de profissionais. E acima de tudo, temos que lembrar que o amor será o  nosso Nomeador²
Então se você está lutando com o Nada, seja forte. A luta é difícil, mas vale apena lugar e sobreviver... 

¹ Fantasia: Nome do reino magico onde a historia acontece no livro. 
² Nomeador: Na historia, o único modo de salvar o reino e se um garotinho- Bastian Baltasar-, der um novo nome a soberana deste reino.

segunda-feira, 10 de outubro de 2011

Sentimentos...

Hoje tive uma incrível experiencia com um grande amigo. Dividimos prazeres e ideias. Compartilhamos sensações que é difícil conseguir fazer nos dias de hoje. Sorrimos, brincamos um com o outro, provocamos.  O melhor de tudo é que  uma nova especie de amizade surgiu. Uma amizade com confiança, e alguns benefícios muito interessantes.
Bom, você que está lendo isso deve estar se perguntando, Mas é dai? O que isso tem haver? Bom, o que tem haver e a pessoa especial que sou quando estou com ele. Tem haver também com o sorriso fácil que ele consegue tirar de mim apenas com um olhar. Sem duvida ele ganhou um espaço em meu coração. E com isso merecia ter algumas linhas lançadas no infinito da internet, para que por muitos anos essa pessoa seja lembrando.
A você mon amour.  

segunda-feira, 3 de outubro de 2011

Nem tudo é para todo o sempre...

As vezes é engraçado como as coisas que estavam nos fazendo mais bem se acabam em uma virada de página. Tudo está lá em um estado de paz e harmônia tão grande, que quando vemos a pequena nuvem de  tempestade chegar nem percebemos atê que caia a primeira gota.
Passei muitas dessas tempestades, e aposto que todos no mundo já viveram isto ou vão viver. E com essa experiencia, iram aprender que o melhor a se fazer na hora do adeus é apenas continuar vivendo. Por que cedo ou tarde o sol surge e nos faz lembrar dos momentos bons que passamos juntos. Das horas intermináveis que conversávamos. Dos segundos contados de cada beijo que recebíamos... 
A vida é cheia de surpresas, algumas boas e outras nem tanto. O que vale mesmo e nunca desistir de continuar vivendo. Nunca desistir de fazer valer os cem anos apenas que temos na terra. Nunca esquecer que quando as coisas parecem acabar, é um novo começo que irá surgir em nossas vidas. 
Hoje minha postagem é assim. Um lembrete de que "não importa o quanto uma coisa esteja suja sempre podemos limpa-la". Ou seja, podemos fazer qualquer coisa. Atê mesmo ressurgir das cinzas. 

sexta-feira, 30 de setembro de 2011

Um poema clássico.


Monte castelo

O amor e o fogo que arde sem se ver
é ferida que dói e não se sente
é o contentamento descontente
é dor que desatina sem doer
È o não querer mais que bem querer
é solitário andar por entre a gente
é o não contentar-se de contente
é cuidar que se ganha em se perder
é o estar-se preso por vontade
é servir a quem vence o vencedor
é o ter com que nos mata a lealdade
tão contrario a si
é o mesmo amor
Estou acordado e todos dormem
Agora vejo em parte
mais então veremos face a face
É só o amor que conhece o que é verdade
o amor é bom não quer o mal
não sente inveja ou se invaidese
Ainda que eu falasse a língua dos homens
Que falasse a língua dos anjos
Sem amor, eu nada seria...

terça-feira, 20 de setembro de 2011

Luzes que dançam no céu.

Quem nunca viu um filme com luzes que dançam no céu noturno de regiões polares? Bom, eu já varias deles. Essas cores vibrantes e magnificas são o efeito magico de partículas solares com poeira cósmica da via láctea. 
No hemisfério o efeito é conhecido pelo nome que Galileu Galilei lhe deu: aurora boreal. Essa foi uma referencia a deusa do amanhecer  Aurora e seu filho Boreal, o deus dos ventos do norte. As luzes aparecem mais no mês de setembro a outubro e de março a abril. 
Bom, a questão é meu caro leitor : eu adoro essas luzes. E principalmente a ponta de enigma e magia que faz  nossos corações( os de fantasiosos) palpitarem fascinados na presença desse efeito da natureza. E por isso que estou abrindo um espacinho para a aurora boreal no meu blog.

Beijos, e que tenham milhares de encontros com a deusa do amanhecer em suas vidas. 

segunda-feira, 29 de agosto de 2011

Momento Bobeira

O QUE É O QUE É?
P: O que é? O que é? Começa com "B", no meio tem "C", e termina com "ta", e sempre fica no meio das pernas?
R: A bicicleta!




A diferença:
P: Qual é a diferença entre o gato e a coca-cola?
R: É que o gato mia e a coca light.

Obrigado Por Me Amar (Bon Jovi)



Tradução. 



É difícil para mim, dizer as coisas

Que eu quero dizer ás vezes
Não há ninguém aqui exceto você e eu
E aquela velha luz quebrada da rua Tranque as portas 
Deixando o mundo lá fora
Tudo o que eu tenho para te dar 
São essas cinco palavras e eu
Obrigado por me amar Por ser meus olhos
Quando eu não podia ver
Por abrir meus lábios
Quando eu não podia respirar
Obrigado por me amar
Obrigado por me amar
Eu nunca soube que tinha um sonho
Até o sonho ser você 
Quando olho dentro de seus olhos
O céu fica num azul diferente 
Eu juro Eu não visto disfarces
Se eu tentasse, você faria de conta 
Que acreditou em minhas mentiras
Obrigado por me amar
Por ser meus olhos 
Quando eu não podia ver 
Por abrir meus lábios
Quando eu não podia respirar

Obrigado por me amar


Você me ergue quando eu caio 
Você marca presença antes de eu ser posto de lado
Se eu estivesse me afogando você abriria o mar
E arriscaria sua própria vida para me resgatar
Tranque as portas 
Vamos deixar o mundo lá fora
E tudo o que eu tenho para te dar 
São essas cinco palavras e eu
Obrigado por me amar
Por ser meus olhos
Quando eu não podia ver
Por abrir meus lábios
Quando eu não podia respirar
Obrigado por me amar
Quando eu não podia voar 
Oh, você me deu asas 
Você abriu meus lábios
Quando eu não podia respirar 
Obrigado por me amar
Obrigado por me amar
Obrigado por me amar
Oh, por me amar.

domingo, 28 de agosto de 2011

Amor inacabado.


Deitado no grande mar branco de lençóis, ele podia vê-la em pé ao seu lado. Os olhos cor de uísque esquadrinhavam a pequena escrivaninha coberta de folhetos de objetos eróticos. Ele podia ver nos olhos dela que não havia medo. Havia apenas a ligeira timidez de sempre, aquela que o encantara desde o primeiro olhar. O brilho nos olhos dizia que ela estava com pontadas de nervosismo, mas, ora, ele próprio estava nervoso com a situação.

Essa era a terceira vez que os dois se viam. Os dias em que estavam longe um do outro ficavam recheados de pensamentos apaixonados e fascinados. Quando se encontravam parecia que já viviam juntos a décadas. Olhando-a mais uma vez, não pode resistir e, disse:
  • Deite-se aqui do meu lado.
Foi ai que ela ousou olhar. A pele do peito já estava a mostra, a calça preta de corrida fazia com que o corpo se enchesse ainda mais de curvas. Os pés descalços cruzados no fim da cama. A visão fez água brotar na boca dela. Engolindo em seco, sem deixar que ele percebesse, deu a volta e subiu sobre o lençol imaculadamente branco. Arrumou o travesseiro próximo ao namorado, mas não tanto assim, deitou-se e esperou. Milhares de coisas passavam-se pela sua mente. - Será que ele vai gostar do meu corpo?! Será que vai doer muito?! Ah! Meu Deus! Que idéia foi essa que tive de convida-lo pra um motel?! Só você mesmo Jéssica.
O coração bateu mais rápido quando ele se virou de lado, passando o braço para o seu lado na cama. Bem devagar, inclinou-se sobre ela e tocou seus lábios com os seus. Movimentos quase que ensaiados em apenas dois encontros foram repetidos. Lábios moviam-se com leveza e paixão. Uma paixão totalmente arrebatadora para ambos.
Com o beijo longo e profundo, algo mudou dentro dela. Não existia mais medo, nem desconfiança. Ela, finalmente sabia como era encontrar o amor de sua vida. E ousou dizer para si mesma, que aquele era o sonho que sempre pedia ao ver a estrela mais brilhante do céu.
Aquela, foi a primeira vez que senti todo o meu coração completamente cheio de vida.
Beijos.
Fique bem! Não se esqueça de mim. E não precisa responder o email, só queria dizer algumas palavras que minha timidez me impediu, quando você estava preso a mim.
Eu ..., bom você já sabe ... te amo.

Jéssica.





sábado, 27 de agosto de 2011

Por que a Lua fica amarelada de vez em quando?

Quem já prestou atenção ao nosso maravilhoso céu noturno, deve ter visto alguma vez  a lua estar  meio laranja ou atê amarela. Bom, eu gosto de acreditar que é uma força magica e oculta que a faz ficar assim, para que amantes de todo o globo possam se beijar sob sua luz. Mas, tem algumas pessoas que preferem a versão cientifica de que: 

O fenômeno é ocasionado pela dispersão da luz. Como a Lua não tem luz própria, ela reflete a luz do Sol, que é branca – resultado da soma de todas as cores. Quando atravessa a atmosfera do nosso planeta, a luz refletida pela Lua se dissipa pelo ar. Em contato com as moléculas dos gases que compõem o ar (oxigênio, nitrogênio e hidrogênio), algumas cores, como o violeta, o azul e o verde, podem se dispersar a ponto de se tornarem imperceptíveis. É o que acontece quando a Lua está mais próxima do horizonte – ao amanhecer ou anoitecer. "Nesses momentos, a luz penetra a parte da atmosfera mais próxima do chão e, para isso, tem de atravessar uma camada mais densa de ar. Nesse processo, perde boa parte de sua cores azul e verde. Sobram muito amarelo, laranja e vermelho. A mistura dessas cores é que dá o tom amarelado", diz Luiz Nunes de Oliveira, professor do Instituto de Física de São Carlos (USP).
Quando está bem no alto do céu, a luz refletida pela Lua conserva a cor original, que é o branco. Isso porque o ar é mais rarefeito em altitudes elevadas, fazendo com que a perda das tonalidades luminosas verde, azul e violeta seja bem pequena.
Mesmo sabendo disso, gosto de pensar que alguém com dedos mágicos esta lá fora fazendo o mundo girar e se mover de forma graciosa. 
A pura verdade é que não importa se você escolhe a versão magica ou a cientifica, o que vale mesmo é ganhar um beijo espetacular sob a lua amarelada.