domingo, 28 de agosto de 2011

Amor inacabado.


Deitado no grande mar branco de lençóis, ele podia vê-la em pé ao seu lado. Os olhos cor de uísque esquadrinhavam a pequena escrivaninha coberta de folhetos de objetos eróticos. Ele podia ver nos olhos dela que não havia medo. Havia apenas a ligeira timidez de sempre, aquela que o encantara desde o primeiro olhar. O brilho nos olhos dizia que ela estava com pontadas de nervosismo, mas, ora, ele próprio estava nervoso com a situação.

Essa era a terceira vez que os dois se viam. Os dias em que estavam longe um do outro ficavam recheados de pensamentos apaixonados e fascinados. Quando se encontravam parecia que já viviam juntos a décadas. Olhando-a mais uma vez, não pode resistir e, disse:
  • Deite-se aqui do meu lado.
Foi ai que ela ousou olhar. A pele do peito já estava a mostra, a calça preta de corrida fazia com que o corpo se enchesse ainda mais de curvas. Os pés descalços cruzados no fim da cama. A visão fez água brotar na boca dela. Engolindo em seco, sem deixar que ele percebesse, deu a volta e subiu sobre o lençol imaculadamente branco. Arrumou o travesseiro próximo ao namorado, mas não tanto assim, deitou-se e esperou. Milhares de coisas passavam-se pela sua mente. - Será que ele vai gostar do meu corpo?! Será que vai doer muito?! Ah! Meu Deus! Que idéia foi essa que tive de convida-lo pra um motel?! Só você mesmo Jéssica.
O coração bateu mais rápido quando ele se virou de lado, passando o braço para o seu lado na cama. Bem devagar, inclinou-se sobre ela e tocou seus lábios com os seus. Movimentos quase que ensaiados em apenas dois encontros foram repetidos. Lábios moviam-se com leveza e paixão. Uma paixão totalmente arrebatadora para ambos.
Com o beijo longo e profundo, algo mudou dentro dela. Não existia mais medo, nem desconfiança. Ela, finalmente sabia como era encontrar o amor de sua vida. E ousou dizer para si mesma, que aquele era o sonho que sempre pedia ao ver a estrela mais brilhante do céu.
Aquela, foi a primeira vez que senti todo o meu coração completamente cheio de vida.
Beijos.
Fique bem! Não se esqueça de mim. E não precisa responder o email, só queria dizer algumas palavras que minha timidez me impediu, quando você estava preso a mim.
Eu ..., bom você já sabe ... te amo.

Jéssica.





Nenhum comentário: