quinta-feira, 19 de janeiro de 2012

Algo no seu jeito.

Não sei o que é. Não sei o que me faz sorrir assim. Não sei o que me faz elevar aos céus apenas por ter você perto o suficiente pra sentir seu vento ao caminhar. Ou ainda lembrar que respiro o mesmo ar, saber que talvez por algum motivo você se lembrou do meu nome nesse dia. As coisas são tão complicadas quando se fala se sentimentos, mas quando tento falar com você é algo tão simples como apenas viver. Sinto vontade de  te abraçar, beijar e tocar a cada instante. De viver em um mundo etéreo onde tudo não tem forma, a não ser nossa cama em que ficamos deitados a nos admirar. 
Sinos tocam em minha cabeça. Luzes piscam coloridamente em meus olhos. E meus dentes teimam e se mostrar em forma de sorriso. Meus desejos misturam-se com o frescor e alaranjado do por-do-sol. Minha alma voa com as borboletas. E meus textos ficam cheios de fantasias e frases sem caminho algo, como este que estou a escrever. 
Minha nossa ... minha nossa ... minha nossa!
É tudo que consigo pensar ao tocar o peito de onde um calor dolorosamente apaixonante faz minhas faces corarem. Nesses momentos sentimos uma ânsia inegavelmente de voar, ficar perto das coisas naturais, viver leve como uma joaninha. 
Eu não sei como o resto do mundo se sente ao ficar apaixonado. Sei apenas que quando eu estou, fico me sentindo como a este texto maluco e ao mesmo tempo totalmente com sentido. O mundo se torna nosso. Neste momento aquela frase do final do livro O Pequeno Príncipe encontra uma resposta: " Terá ou não terá o carneiro comido a flor ?" ... 

2 comentários:

Lolis Almeida disse...

Que texto lindo, Amanda! *-*
Adoreiii! obrigada pela visita no meu blogue!
Sinto tudo isso que tas a sentir, é uma incerteza de como começou, mas ao mesmo tempo a certeza de que esse sentimento é forte e verdadeiro, e que por isso, permanece! *-*
bjus!
http://lorenna-almeida.blogspot.com/

Amanda Andrade disse...

Obrigada linda. Também adoro o seu.