terça-feira, 7 de fevereiro de 2012

Colorir em dor.


Lagrimas fundas, negras
brilho molhado de incertezas 
gestos tolos de  um diamante
Algo momentaneamente doloroso 

Pétalas  que caem de um muro
muro de pedras borbulhantes 
sons meigos de uma coruja ao anoitecer 
de olhos imensos e lábios pequenos 

Roxo de um sonho inventado
Rosa de um amor conquistado 
Azul de um oceano de verão
as tristezas se vão ao colorir. 

Amanda de Andrade

4 comentários:

J. Telles disse...

Já disse uma vez que gosto dos seus textos...
mas esse se sobressai, realmente lindo...
O tipo de textos que dispensa comentários com objetivo de complementar.
bjs...

Amanda Andrade disse...

Obrigada pelo comentário, são eles que me fazem escrever muito melhor. Beijos a até o seu.

Bruno Gaspari disse...

Lindo, sensível e envolvente!
Parabéns! Beijos;)

Amanda Andrade disse...

Bruno, mais uma vez obrigada por suas palavras.
Beijos e abraços.