terça-feira, 17 de julho de 2012

Bombeador de sangue.

Meu coração esta vazio sem você aqui. Parece que seus batimentos começaram a diminuir de uma tal forma que meu corpo ficou triste de energia para funcionar. Não posso me mover desta cama solitária que  recorda tantas emoções. Lembro do beijo, bem ali, aos pés dela. Do dia em que escorregamos inesperadamente e você acabou ficando aninhado sobre meu corpo. Dos toques roubados furtivamente em meio ao delírio.  Aquele dia havia tanto calor de amor entre nós. Para onde será que foi tudo aquilo? Porque a minha mente apenas pensa em você? Você me prometeu que um dia eu acordaria sem sentir mais nada por você, mas isso não está acontecendo. Nada que vivemos sumiu de mim, apenas fica guardado na estante para quando eu tenha forças possa ir la abri-la e dar uma espiadinha. Acho que era isso que você estava tentando dizer. Será que você queria dizer que eu nunca esqueceria seu amor, como você não esqueceria o meu, infelizmente algo entraria no meio disso que seria aprender a viver um sem o outro. Este talvez seja o verdadeiro sentido daquele adeus. Deixar claro que não importa quantos amor cada um irá ter. Aquele que realmente mudou um botão interno dentro da pessoa fica aprisionado no coração. Não deixamos ele sair, não deixamos de amar aquela pessoas, mas seguimos em frente buscando um modo de viver em paz com a dor do amor acabado. Fazendo aquela pessoa se tornar parte de nossa personalidade. 
Se for isso, o meu coração estará sempre aberto a novas experiências, amores, lutas e aventuras. Perseguirei novos romances que me machucaram, e aqueles que me beneficiaram. Para que quando a saudade surgir possa deitar nesta cama e ficar recordando alegremente da minha doce apaixonada juventude que me foi roubado como um amor de outono. 

7 comentários:

silvioafonso disse...

.


Bombeador de sangue ou
ESTAÇÃO DO TEMPO.
A qualquer momento o chei-
ro da terra molhada haverá
de adentrar por tua janela
enquanto o capim carpido
jazerá por terra exalando
o perfume do mato. Cantos
de aves e pássaros calarão.
Trovões e relâmpagos emu-
decidos, escondidos, não
dirão dos seus medos, mas
o teu corpo estendido no
vai e vem da rede soprada
pela brisa gostosa da
felicidade que a cara lam-
be, enquanto por mar ou
por terra há de chegar o
amor que em ti fez nascer
a esperança e a felicida-
de que no teu peito encer-
ra e nos teus lábios bran-
de.

Palhaço Poeta







.

LUZ disse...

Oi querida Amanda,

O coração não é só um órgão, com duas aurículas e dois ventrículos e sangue a bombear, é mais do que isso.
É nele, metaforicamente falando, que depositamos amor, ternura, raivas , prantos, delirios e desejos.
Seu texto bem mostra essa realidade. Amou, ama e estará sempre pronto a novos desafios, com consciência e em verdade.

Boa semana, com amor no olhar e em suas mãos flores para dar.

Beijos da Luz, com carinho.

LUZ disse...

Oi querida,

Obrigada pelos seus comentários.
Te aprecio muito.

Beijos da sua amiga Luz.

silvioafonso disse...

.



Você não foi me dar um abraço
no Bar do Escritor, né? Ainda
está em tempo. Procure lá, en-
tre os outros o meu texto e
diga um alô para este cara que
tanto gosta de você.

http://bardoescritor.blogspot.com

Um beijo e obrigado.

silvioafonso







.

LUZ disse...

NOSSA! COMO PODE!

Olá querida Amanda,

Já sabia que não tinha postado nada, de novo, mas passei por aqui, porque eu postei e gosto, que você me visite e me comente. Há pessoas, que nem quero ver, nem de longe.
Lhe desejo uma boa semana.
Como vai seu livro? Muito trabalho?

Beijos da Luz, com carinho.

silvioafonso disse...

.


Não se deixe corroer pela
curiosidade. Vá ao meu texto
para se convencer que a boca
cheia dágua não era a minha.

Um beijo para quem tem o do-
ce nos lábios e a juventude
na alma.

silvioafonso







.

Carlinda Sobreiro disse...

Passei por aqui para te deixar um beijinho,tenho andado meio afastada da escrita e das visitas aos blogs,por falta de tempo:))

Mas em breve voltarei!!!

Beijinho grande