sexta-feira, 13 de julho de 2012

Dúvidas do azar.






Tentei fugir, mas ela chegou
a sexta tão macabra
o dia dos santos ruins
tomara que não me façam chorar


Tenho medo desse dia
fico com o coração a espera de zumbis
sinto o cheiro de caldeirão fervendo,
escuto um gato preto arranhando


Até parece que é dia das bruxas
felizmente é só uma data azarada
azarada na mente humana
como somos tolos em acreditar


Como não sou tão aberta a negociação
irei duvidar dessas lendas
sem querer ofender o senhor do tempo
Vai que ele cisma em me castigar?!




7 comentários:

O Profeta disse...

Como se ama uma planta que não floriu?
Como se ouve um coração em silêncio total?
Como se sente uma dor que a paixão desenhou?
Como se alcança o Sol quando o dia morreu, acabou?

Um Outono invadiu esta ausente Primavera
Povoei esta ilha com palavras em baixela de poesia
Encontrei uma casa da manhã com verdade e revolta
Construi a claridade com fogo de uma chama já morta

Bom fim de semana

Doce beijo

Giancarlo disse...

felice fine settimana a te...ciao

LUZ disse...

Oi Sonhadora,

Tudo bem com você? Agora, há estabilidade. Graças a Deus.

Mais um excelente poema seu.
Sexta-feira é um dia como outro qualquer. Também foi criado por Deus, não é mesmo?
É, mas nós somos um pouquinho supersticiosas.

Bonito jogo de ideias e de palavras, você engendrou. Não vai castigar coisa nenhuma.

Boa semana.
Beijos da Luz.

LUZ disse...

Oi, eu de novo!

Adorei o gato.
Quanta felinidade!

BJS.

silvioafonso disse...

.


Gato preto, escada, sexta-
feira 13. Contos de bruxa e
de princesa. Dia de mistério,
noite de terror, perfeita
para dormir em pesadelos.

Palhaço Poeta







.

Lidi Horácio disse...

Achei seu blog na blogosfera.
E adoreii!

Já estou te seguindo..
Me visite tbm
http://lidiepaulo.blogspot.com.br

Beijocas
Ótima Semana \º/

jimmy manss disse...

Love your blog x

Søgemaskineoptimering