sexta-feira, 5 de outubro de 2012

"Tão natural como a luz do dia"





Tudo estava escuro sob minhas pálpebras. O mundo do lado de fora era como uma bola silenciosa de vida rugindo por um rio tempestuoso no mar aberto das desilusões de minha vida. Deitada sob o felpudo cobertor negro me recordei da noite anterior aquele dia. Uma noite tão triste. Uma noite em que vidas terminaram, vidas nasceram e outras foram presas.  Mas também vidas estavam felizes em algum lugar do nosso imenso planeta azul. 

O cheiro dele ainda estava em minhas mãos, o cheiro daquele abraço dourado que eu pode lhe presentear antes dos problemas chegarem a ponta de nossas línguas irracionais de humanos. Aqueles que fazem sorrisos gigantescos de piadas loucas em lágrimas em apenas alguns segundos de batimentos cardíacos. 

Lembrando aquela briga não consegui deixar de sentir meu peito encher de dor, minha respiração virar vespas e minha alma se inflamar de uma tal forma que o simples movimento que fiz para abrir os olhos e encarar o mundo se comparava a levantar um caminhão de desesperança e morte. 

Fiquei tão desesperada. Me faltava ar. Não me existia caminhos. Respostas não eram mais satisfatórias. A brisa de sabedoria da manhã me sufocava. Então, entregue ao devaneio corri, corri para o além de minha casa. Viajei pelas ruas em depressão e trémulas. Voei por entre o riacho de lágrimas. Criei uma bolha de farpas ao caminhar para a porta em direção a liberdade louca que meu corpo precisava. 

O primeiro passo foi "tão natural como a luz do dia" que me irradiou o ser. O sol estava majestoso sobre minha cabeça, seus raios penetrando minha alma de tal forma que suspirei. Aquele calor de estrela ou planeta? Não me recordo agora as regras tolas dos cientistas... aquele ser celeste com sua luz intermitente guiou meu coração até a luz do mundo. Libertando minha alma com apenas algumas vitaminas que seus raios ultravioletas exercem nas minhas células mortais. 


17 comentários:

silvioafonso disse...

.


Delícia. Gostoso ao
extremo.

Tremi como um vibrador
nas mãos de uma colegial...

silvioafonso






.

bruna disse...

uiu

LUZ disse...

Olá estimada Amanda,

Antes de começar a comentar teu texto, propriamente dito, deixe que lhe diga, que hoje, e como tão bem sabe, o Brasil está com eleições municipais, que são obrigatórias (acho mal. Quem quisesse votar, votaria, quem não quisesse, aceitaria a escolha dos outros) e eu fui ao CIRCO.
Números de acrobacia maravilhosos e de uma elegância inqualificável, mas depois no final, vieram os palhaços, só para a criançada, que ainda não pensa e cujo coeficiente de inteligência (QI) é ainda pouco.

O MUNDO ESTÁ ABARROTANDO DE PALHAÇO, QUANTO MAIS OUVIR SUAS PIADAS DESCORDENADAS, ALGUMAS RELES, VULGARES E SEM QUALQUER PIADA.

Claro que não vibrei, porque eu só vibro com pessoaas e atos inteligentes, honestos e decentes.

Se alguém vibra, feito vibrador em mão de menina de externato (colégio), de escola mais fina, deve ser tarado/a da mente.
E se tiver filhas, aproveite e guarde esse vibrador para oferecer a ela no Natal. É um presente de "raro valor e utilidade", tipo diamante. MENTES PORCAS.
Já vi e continuo vendo tanta demência e insanidade, que não sendo bem a mesma coisa, pertencem à mesma patologia- LOUCURA COM FRUSTAÇÃO.

Recomendo Psicotrópicos. Ajudam o cérebro e as pessoas ficam menos loucas varridas.

Passando agora ao seu texto e mandando o palhaço lá do circo para os infernos, te digo que o li, com muita atenção, e que narra uma briga entre duas pessoas, que suponho serem de sexo oposto, e uma delas, será mulher. Tu és a narradora, APENAS. As pessoas, leitores/as insensatos/as, iletrados e maliciosos confundem, PROPOSITADAMENTE, quem escreve, com aquilo que está escrito. O narrador/a inventa a história e cria personagens, só isso.
Por vezes, pode ser, também, narrador participante, mas fala, ou melhor escreve na primeira pessoa do singular, EU.

Conclusão: ficou um amargo de boca, um coração triste após aquela briga. Só vi isso no teu texto e nada mais.
Sabe, eu não tenho visões, só leio o que lá está.
Já tens escrito melhores textos. Só os amigos, nos dizem isso.

Procurei o blog da tua segunda comentarista, de nome Bruna, que está escrito em minúscula a letra inicial, o "b", mas não deve ter blog. É INFILTRADA OU INVENTADA, só pode.
Queria lhe deixar um comentário para ela fazer uiu e aiiiiiiiii!

POBREZA DE ESPÍRITO É TÃO TRISTE...!!!

Beijos, com amizade, da Luz.

LUZ disse...

Oi Amanda,

Deixe eu te dar os parabéns pelo título que você escolheu para o teu texto. Lindo!

É bom que haja sempre luz natural e que a tua amiga Luz, te vá dando sua amizade e sugestões, porque é mais velha que tu.

Vampiros, há, por aí muitos.

Beijos, com carinho fratenal.

LUZ disse...

Oi estimada Amanda,

Passando pra te desejar uma noite divina, feliz e em paz.

Parabéns por você ir ser tia.

Beijos da Luz, com carinho.

São disse...

Gostei de seu texto e vim até cá por indicação de ossa querida amiga comum luz.

Faço minhas(penso que mo permite) as palavras que lhe escreveu,

E, como também sou mais velha e sei o que é ser incomodada por criaturas tresloucadas lhe sugiro que feche a opção "Anónimo" por um tempo, pelo menos.


E se necessário apresente queixa ao Blogger para trancar o acesso a quem não lhe agrada.

Bons sonhos.

LUZ disse...

Oi querida Amanda,

Tudo bem, com você?
Tu, nem ninguém, que esteja em seu perfeito juízo, merece uma situação dessa.

NINGUÉM MERECE!

O alerta não poderá parar. Somos homens e mulheres conscientes, mães, pais, e outros, que não o sendo, sabem muito bem o que é amar e respeitar uma criança/uma jovem, uma mulher, um idoso/a.

Te desejo um lindo dia, em paz e de cabeça erguida.

Beijos, com estima, da Luz.

Mary disse...

Oi Amanda!
Seu poema é lindo, como o próprio titulo já diz, "
Tão Natural como a luz do dia"
Nele você expressa até com inocência um amor, uma desilusão e o sonho de ter de volta seu verdadeiro amor.

Diante disso fico indignada que alguém que se diz um poeta tenha a infelicidade de deixar um comentário desse tipo.
Somos mulheres sensíveis, sonhadoras, pena que ainda existe gente desse tipo, que nos trata como se fossemos apenas objetos de desejo.
Ah Amanda! quer saber minha linda? dar enjoo esse tipo de coisa.

Te achei através do blog da minha amiga luz.

bjos pra vc

LUZ disse...

Oi Amanda,

Pretendo corrigir a palavra, à qual "comi" um "r".
Está escrito, no meu comentáro grande, frustada, mas o correto é FRUSTRADA.

Beijos da Luz.

LUZ disse...

NÃO PUBLICA, TÁ?

Não retire esse texto, por enquanto. Estou esperando a opinião de uma advogada.

Beijinhos da Luz.

LUZ disse...

Oi querida Amanda,

Por lapso, "comi" o "r" da palavra FRUSTRAÇãO e não frustrada, como te tinha dito, anteriormente. As minhas desculpas.

Beijos da Luz, com carinho.

LUZ disse...

NÃO PUBLICA!

Te sugiria que retirasses tua foto do painel de seguidores do PALHAÇO POETA e bloqueia a foto dele, no painel de teu blog.
Faz isso, sim, querida.

Beijos.

bruna disse...

ui de bom de gostoso ,ta meninas?nao me enterprete de forma negativa;e lindo o que vcs escrevem.

FATIMA WINES disse...

Olá,

O meu comentário no "You belong with me" era para ser publicado aqui.Reforço o que disse: Não se deixe amedrontar.
Saudações,

bruna disse...

vc sabe pq eu disse ui ne?

LUZ disse...

Oi Amanda, querida!

Tenho de corrigir a menina Bruna: escreve-se, INTERPRETE e não como você escreveu, santinha.

Beijos, Amanda, da Luz.

Anônimo disse...

Quanta maldade e de santa nao tenho na viu?
nao quer opiniao ?
to nen ai pra vc.
ela me conhece luz nao sou do mal,so ele veio pra minha vida do lado errado.
Bruna