sexta-feira, 20 de dezembro de 2013

O Calor.



Ah! O calor,
tão leve em seus braços
lábios doces tocando em meus membros
Que me deixam a delirar ocasionalmente

Ah! Que saudade deste calor
onde nas noites estreladas me banhava em seu suor
girando em ondas na sua pele pálida
flutuando no mar gelado de seus olhos 

Ah! o Verão
época de corpos e mentes quentes
dormindo em lençóis vaporosos na madrugada
de amantes exagerados e moderados

Oh! Quem me dera ser
a paixão entre o calor e seu coração
em um longo dia de verão.

Amanda Andrade

domingo, 15 de dezembro de 2013

Superação: a cama que não uso.









Superação andava meio caída
em um sub mundo bem distante do seu
cheio de lençóis amarelados e plantas vivas-mortas
criando falsas doenças em sua mente

Fracassos de sonhos que viram a noite
num abismo de momentos  farsantes
sinto minha identidade se derretendo 
em baixo das cobertas 

Meus lenços de lágrimas
ficam como flocos de neve sobre o chão
causando uma imagem de nojo
saindo das montanhas da solidão

Superação? Meu nome deveria ser outro
Acho que estou mais para Desespero, ou Desalento
apenas supero o caminho até meu banheiro
para voltar segundos depois para meu ....
verdadeiro caos.

Amanda Andrade

segunda-feira, 12 de agosto de 2013

A Guerra


A Guerra... O que é a guerra?
Bombas, explosões, soldados acionando suas metralhadoras espalhando a morte e desolação.
É o sobrevoar dos caças pronunciando o encontro dos elementos de destruição, exterminando sem piedade e ainda com crueldade em seus corações. 
Como demônios cegos por desejo de beber o seu sangue quente e metálico.
É o grito de agonia nas gargantas dos feridos, o implorar por uma morte rápida para ser esquecido das torturas fétidas que foi submetido. Fugindo do matraquear das armas que cortam ao meio a vida tanto das que desejam paz como daquelas que desejam a morte do próximo. 
Caminhar em meio ao caos e ver os olhos esbugalhados de terror das crianças e mulheres que viam quietas até alguns dias atrás eu sua aldeia. Matar o amor de sua filha que você tanto admirava apenas porque ele se juntou ao outro lado do partido. 
Guerra... uma pequena palavra, para uma grande manifestação de dor, tristeza e esperança. Sim, esperança. Pois há também guerras para se salvar, seu povo, ter direito de viver. Mas para ter isto as vezes alguém tem que ser a linha entre o desejo e o poder. 
O fato é que muitos apenas conheceram seu verdadeiro significado ao presenciar esse grande abatimento. 

quarta-feira, 24 de julho de 2013

Descrição da Saudade

A minha câmera esta quebrada de novo
não consigo captar seu sorriso
nem o tom de sua pele morena adocicada
que desejo tanto filmar....

Os marcadores laranjas da saudade
invadem meu coração lacrimoso
desejando que as pequeninas gotas salgadas
percorrem seus dedos carinhosos.

Desejaria tanto visualizar seus braços
me envolverem em uma dança 
no meio de nossos desejos ardentes 
de locais escondidos pelo mundo

Pilotar a velocidade constantemente
em um mar de sentimentos 
onde sinos badalariam felicidades 

quinta-feira, 18 de julho de 2013

Tempos Difíceis


A mesa continua bagunçada,
a caneca de café vazia 
a caneta caída a muito sem serviço
que ela presa muito

Porque agora, neste momento
suas ferramentas não estão sendo usadas
talvez seja a fome , a sede do fazer
Que a conduz por incertezas mentais

O adeus das contas preenchem a carteira
meu agasalho não tem mais seu cheiro
minhas únicas chances são em pensar no bem
é sim, eu vou ... pensar no bem
e tentar passar por esta estrada dificil

Percorrer o frio 
não vai ser fácil, mas eu vou
eu vou por você querido 
uivando na noite de esperança.



segunda-feira, 20 de maio de 2013

Pensamentos de um pincel apaixonado


Sabe as vezes queria pegar uma reta e ir até onde ela me levasse. Seguir por entre os verdes da imaginação para sonhar com o mundo onde aquela dor que você me causou não existe. Queria tanto poder no meio do caminho parar o relógio para apagar o erro e depois pintar o certo. Assim a vida seria tão mais feliz. Mas uma vida feliz em demasiado seria ruim? Alguns dizem que sim, outros que não. Qual sera a verdadeira resposta dessa filosofia. 

Queria poder escrever em meu diário as cronicas de lágrimas que você me fez passar. Falar para o mundo a impureza que me trouxeste durante aquele verão dourado. Um verão maravilhoso até as mentiras aparecerem como plumas chatas que se espera tanto ate cair. 

Gostaria de contar piadas de que sobrevive a você mesmo com meu coração em prantos. Voar por entre as flores sorrindo de prazer ao dizer:  - O que não mata fortalece! Mas a verdade é que não consigo fazer isso por mim mesmo. Tenho que ler historias românticas e sonhar com o errado para sempre. Pois por sua culpa não posso ser o certo em sua vida. 

Não importa o que eu gostaria, queria ou saberia. O certo é escrever nessas linhas  ....

Como seria caso o mundo fosse o meu pincel que o desenharia.


Amanda Andrade 

terça-feira, 30 de abril de 2013

Destino

Oh! Destinho o que es tu?
uma linha tênue entre as casas da verdade
que margeiam o sabor das desculpas chorosas
ou é um homem belo de sorriso cálido 
que envolve as donzelas na noite destemida 

O que seria o destino?
algo previsto ou sonhado?
um mito de velhinhas contado para as netinhas
para ficarem com a pulga atrás na orelha
esperando esse tal surgiu com a resposta

É por ti
destino meu 
que os calafrios percorrem o coração
ou é a sorte de minha escolha no passado
que me satisfaz no presente. 

Amanda Andrade 


domingo, 7 de abril de 2013

Estranhos.




Passos silenciosos que envolvem a mente
Uma lembrança ardente de um fato doente, 
o motivo é a saudade da substancia amigável
aquela de abraços entre amigos.

Escuto o som de sua vida
guiada pelo sol da galaxia 
variando pelas variedades das paixões loucas
alimentando os estranhos conhecidos

Ah! Que saudade!
dos seus braços, olhos, mãos, de sua presença 
nas risadas de esquina 
queria tanto deixar de ser estranho para você. 

Amanda Andrade

segunda-feira, 4 de fevereiro de 2013

Antes do Amanhecer


Palavras reais de mentes desconhecidas
formando um olhar de vida conhecida
ânsia que surge dos lábios femininos
loucuras na mente masculina

Uma pergunta
a resposta de felicidade 
saltando do trem na parada mais próxima
rumo a magia de uma noite de amor

Caminhadas longas
silencio de corações encantados 
guiando-os em uma dança de cravo 
pelas vielas douradas de uma cidade fechada

Poeira de estrelas? 
Mendigos presos entre Deus e a Ciência
Piadas de uma poeta com os doces
um laço de amor eterno se forma

Tudo antes do Amanhecer 
que faz jovens voltarem a ser aboboras 
ratos e sapatinhos de cristal perdidos
nas mentes de Jesse James e Celine 

Amanda de Andrade








domingo, 13 de janeiro de 2013

Dores

Abrindo os olhos
aquela pontada que mexe até na sua alma
envolve seus sentidos em dor

Movimentar o corpo é difícil
respirar é complicado 
sentir o mundo acordar na manhã fria
é doloroso como choro de bebê

A criança berra desesperada
chamando atenção de sua mãe
falando que algo está errado

Aos poucos você se coloca em pé
e a coberta pesam em suas pernas 
mas você as deixa no lugar 
para que sua dor no ombro não grite de fome. 

Amanda Andrade. 

terça-feira, 1 de janeiro de 2013

Solidão

Olá pessoal, hoje para começar o ano com uma cara nova, vou dar a palavra, ou melhor a escrita ao meu adorável escritor tímido e namorado Augusto Freitas. Espero que gostem das palavras dele, e caso tenham algo a criticar não fiquem acanhados, pois criticas nos levam a crescer. 

Em um fim de tarde, caminhava pela praia completamente deserta. O sol estava quase se pondo  depois de uma tarde fria de inverno.  Eu ainda pensava em você, pensava no que havia lhe dito em tudo que você me disse antes da saudade chegar. Então olhando para o por do sol minha alma começou  a chorar fazendo gotas de água caírem para fora dos meus olhos. Vi que tinha perdido aquilo que mais lutei para conseguir: um amor de verdade. Perdi por mera futilidade.
 Desfiz nosso amor por me aventurar num lugar que não era para percorrer com meus pés. Tentei me divertir com as luzes da noite e ao dançar nessa pista joguei minha vida fora como um copo de bebida descartável.  Agora não sei o que devo fazer para me desculpar com  a vida passada que sempre foi o caminho certo do meu coração. 
Quando penso, vem em minha mente vários modos de me desculpar. Talvez só te pedir perdão, criar uma cena de amor, lhe mandar flores. Mas sei que o que fiz não tem perdão.
Acho que o melhor seria ajoelhar, olhar para as estrelas e fazer uma prece. Deus é meu ultimo caminho. Agora não sei para onde ir, não tenho mais meu caminho, nem minha própria vida porque que ela ainda tem que me deixar percorrer novamente a mesma estrada. Por isso que rezo e espero o seu perdão chegar todas as tardes. 



Augusto Freitas