domingo, 13 de janeiro de 2013

Dores

Abrindo os olhos
aquela pontada que mexe até na sua alma
envolve seus sentidos em dor

Movimentar o corpo é difícil
respirar é complicado 
sentir o mundo acordar na manhã fria
é doloroso como choro de bebê

A criança berra desesperada
chamando atenção de sua mãe
falando que algo está errado

Aos poucos você se coloca em pé
e a coberta pesam em suas pernas 
mas você as deixa no lugar 
para que sua dor no ombro não grite de fome. 

Amanda Andrade. 

terça-feira, 1 de janeiro de 2013

Solidão

Olá pessoal, hoje para começar o ano com uma cara nova, vou dar a palavra, ou melhor a escrita ao meu adorável escritor tímido e namorado Augusto Freitas. Espero que gostem das palavras dele, e caso tenham algo a criticar não fiquem acanhados, pois criticas nos levam a crescer. 

Em um fim de tarde, caminhava pela praia completamente deserta. O sol estava quase se pondo  depois de uma tarde fria de inverno.  Eu ainda pensava em você, pensava no que havia lhe dito em tudo que você me disse antes da saudade chegar. Então olhando para o por do sol minha alma começou  a chorar fazendo gotas de água caírem para fora dos meus olhos. Vi que tinha perdido aquilo que mais lutei para conseguir: um amor de verdade. Perdi por mera futilidade.
 Desfiz nosso amor por me aventurar num lugar que não era para percorrer com meus pés. Tentei me divertir com as luzes da noite e ao dançar nessa pista joguei minha vida fora como um copo de bebida descartável.  Agora não sei o que devo fazer para me desculpar com  a vida passada que sempre foi o caminho certo do meu coração. 
Quando penso, vem em minha mente vários modos de me desculpar. Talvez só te pedir perdão, criar uma cena de amor, lhe mandar flores. Mas sei que o que fiz não tem perdão.
Acho que o melhor seria ajoelhar, olhar para as estrelas e fazer uma prece. Deus é meu ultimo caminho. Agora não sei para onde ir, não tenho mais meu caminho, nem minha própria vida porque que ela ainda tem que me deixar percorrer novamente a mesma estrada. Por isso que rezo e espero o seu perdão chegar todas as tardes. 



Augusto Freitas