domingo, 13 de janeiro de 2013

Dores

Abrindo os olhos
aquela pontada que mexe até na sua alma
envolve seus sentidos em dor

Movimentar o corpo é difícil
respirar é complicado 
sentir o mundo acordar na manhã fria
é doloroso como choro de bebê

A criança berra desesperada
chamando atenção de sua mãe
falando que algo está errado

Aos poucos você se coloca em pé
e a coberta pesam em suas pernas 
mas você as deixa no lugar 
para que sua dor no ombro não grite de fome. 

Amanda Andrade. 

4 comentários:

LUZ disse...

Oi, querida Amanda!

Todo o tipo de dor é ruim, dói e incomoda, mas esse tipo de dor é complicado demais.

Boa semana.
Beijos da Luz, com carinho.

Carlos Rímolo disse...

Querida amiga e poetisa Amanda!

Perdoa-me a invasão de seu espaço, mas temos amigos comuns. Seu Blog. é muito lindo, assim como seus textos poéticos. Gostei muito. Está de parabéns. Já sou seu seguidor.
Beijos de luz !!!

POETA CIGANO - 19/01/2013

http://carlosrimolo.blogspot.com

"Poesias do Poeta Cigano".

LUZ disse...

Oi, Amanda, querida!

Tudo bem com você?
Já há bastante tempo, que você não diz uma palavrinha!
Espero que seja só falta de tempo.

No template de seu blog, colocou mais uma mulher, com unhas salientes e pintadas de negro, como agora se usa, né?

Te desejo continuação de uma boa semana.

Beijos da luz, com carinho.

Anônimo disse...

oi ta viva?