terça-feira, 3 de fevereiro de 2015

Pingos Cintilantes

Caindo da beirada
Vejo o seu rosto bombeando palavras
Para o centro de minha alma
Preciso de toques espertos

Subindo pelas paredes
Sinto o odor da saudade
Os gritos de seu olhar doloroso
E mesmo assim não consigo te salvar

O meu sentimento é o mesmo
Preenchendo nossa jaula
Sufocando nossas vidas com pingos
Pingos de sangue cintilantes

Oh! Eu quero virar essa esquina
E te encontrar na praça das paixões
Para dançarmos loucamente
Sobre os pesadelos infantes de nossas almas

Eu quero flutuar.


Amanda Andrade

Nenhum comentário: